Planejamento efetivo gera consequências positivas nos negócios

Durante um evento para um cliente, pontuei a seguinte reflexão para os gestores daquela organização: “O grande desafio do planejamento é organizar a realização do que se sonhou”.
 
Partindo desse pressuposto, notamos que o planejamento deve servir como um marco para a organização, visto que no ambiente mercadológico as instituições estão constantemente buscando o sonho da excelência em seus processos, clientes fidelizados, colaboradores engajadas e crescimento de resultados financeiros.
 
È importante frisar que esses “sonhos” somente podem tornar-se uma realidade quando existe um plano estratégico alinhando os conceitos e posturas que a equipe de gestão e operacional irão adotar em seu dia-a-dia.
 
Vale ressaltar que ser estrategista, significa moldar os eventos de uma forma mais clara e assertiva, para que todos os executores consigam ter o pleno entendimento dos movimentos necessários para o alcance dos sonhos idealizados.
 
O escritor Carl Von Clausewitz, no livro Princípios da Guerra, traduziu o modus operandi de um planejamento através da seguinte escrita: “Administrar uma grande organização requer planejamento cuidadoso. Todas as decisões devem ser baseadas na probabilidade e não na necessidade lógica, é planejar de modo a minimizar essa incertezas”.
 
Um dos fatores que geram desequilíbrio nas empresas é o próprio planejamento. Nesse viés, fica claro que dedicar tempo exclusivo ao planejamento é essencial para que ele permita a evolução da empresa. Caso isso não aconteça, a tendência é que a empresa não consiga perceber a sua importância e deixe de lado aqueles movimentos idealizados. O planejamento deve ser realizado com um método claro para todos os envolvidos, deve trazer informações de mercado e do negócio, minimizando a visão “tarefeira” de execução.
 
Todos os colaboradores (gestão e operação) precisam entender a importância da complexidade do planejamento.
 
Abaixo seguem alguns cuidados que devem acontecer durante o planejamento:
 
– Superestimar ou subestimar uma meta é um dos pecados que leva a expor fragilidade desta empresa. Sendo assim, é essencial que para o planejamento da empresa ou da cooperativa é essencial o mapeamento de dados continuamente através dos indicadores gerenciais. Sem esse levantamento, provavelmente o planejamento será falho e tornar-se-á obsoleto.
 
– Outro fator importante a ser levado em consideração é a questão do elaborar projetos desafiadores e que sejam viáveis. Alguns projetos não funcionam por serem simplesmente um “sonho encantado”, totalmente insustentável e que podem comprometer a sobrevivência do negócio (sustentabilidade financeira).
 
– É extremamente importante levar em consideração o método que vai ser utilizado para elaboração do planejamento.
 
– Não adianta simplesmente construir projetos e planos de ações que não estejam alinhados com as expectativas do sócios e inclusive dos colaboradores. É necessário o empenho de todos para garantir que os planos vão sair do papel e serem aplicados no dia a dia.
 
– A maior quantidade de informações que forem levantadas para análise durante o planejamento são essenciais. Dessa forma é necessário:
 
– Analisar os pontos fortes e os pontos fracos do próprio negócio.
 
– Identificar as oportunidades e ameaças que podem influenciar no mercado.
 
– Compreender a realidade da concorrência, enxergando o que eles fazem de bem e o que também não está tão legal assim em sua realidade.
 
– Alinhar as estratégias, buscando direcionar os diferenciais competitivos desta organização, tornasse uma realidade e a partir daí essa instituição consiga crescer e se destacar no mercado.
 
– Estruturar projetos estratégicos, dedicando um tempo para definir quais as ações essenciais, os responsáveis e os prazos de execução.
 
Notamos que para o planejamento acontecer, o papel da liderança (equipe de gestão do negócio) é essencial, até porque toda a segurança de implementação das ações deverão ser acompanhados e em alguns momentos construídas junto com a equipe visando o padrão de excelência que a organização tanto almeja.
 
Os planos estratégicos devem ter prazos viáveis para sua concretização para que não aconteçam frustrações na equipe que vai implementar. Para isso é muito importante ferramentas eletrônicas de acompanhamento, instrumentos como o gráfico de Gannt e outros que ajudem o monitoramento constante da equipe perante as ações estabelecidas.
 
A equipe é a engrenagem de sucesso do planejamento. Por isso é essencial conhecer de ferramentas que facilitem e agilizem a implementação do planejamento. Dessa forma poderá dar mais tranquilidade ao sócios e também aos colaboradores que fazem parte deste implementação.
 
Abaixo, seguem alguns métodos que podem ser utilizados e até mesclados para dar viabilidade ao planejamento do seu negócio:
 
SWOT de Albert Humphrey, PDCA de Walter Shewhart, 5 Forças de Porter, Cadeia de Valor de Porter, Modelo 7S Mckinsey, Matriz BCG de Bruce Henderson, Canvas de John Smith, Smart de Peter Drucker, BSC de Kaplan e Norton, 5W2H, Base da Pirâmide de Prahalad dentre outros.
 
 
Fonte: Administradores



Comentários