Pesquisa revela que a maioria dos empreendedores brasileiros fariam tudo de novo

A motivação para grande parte das pessoas migrarem para o empreendedorismo é a chance de ter maior qualidade de vida. Segundo uma pesquisa divulgada pela GoDaddy, maior plataforma de computação em nuvem dedicada a pequenos negócios e empreendimentos independentes, 35% dos entrevistados afirmaram que a motivação para empreender é a flexibilidade, e 29% levaram em consideração a segurança em ter o negócio próprio.

Do total de entrevistados, 94% deles disseram que, com o conhecimento adquirido até hoje, fariam tudo novamente. Além dos Brasil, outros países participaram dessa pesquisa: Austrália, China, Canadá, Hong Kong, Índia, México, Estados Unidos, Reino Unido, Turquia e Cingapura, totalizando 7 mil respondentes e 2,5 mil operadores de pequenas empresas.

Além de informações gerais sobre o mercado de empreendedorismo, a pesquisa também levantou dados geracionais por país. No Brasil, apesar das diferenças de idade, as Gerações Y, X e Baby Boomer não apresentam tanta diferença na vontade de empreender, com exceção do momento em que se encontram em suas carreiras.

Da Geração Y, 62% dos entrevistados tinham um emprego fixo quando decidiram empreender, contra 9% que partiu para o próprio negócio porque foi demitido. Em contrapartida, 56% da Geração X tinha um emprego fixo quando tomaram a decisão de empreender, porém 26% iniciou o negócio próprio por ter sido demitido. Já os Baby Boomers não ficam para trás: 20% deles também iniciaram um empreendimento por causa da demissão do emprego.

Com base nos dados levantados pela pesquisa, a Geração Y é considerada empreendedora por natureza. O contato com a tecnologia desde a juventude faz com que eles vejam os caminhos para crescer num empreendimento de forma menos complexa. A direção da própria GoDaddy acredita que a tecnologia diminui a barreira de entrada para o empreendedorismo. Para o especialista em Marketing Digital e de Relacionamento Rodrigo Nunes, “toda conquista começa com a decisão de tentar”, e não descarta também o ponto da tecnologia como opção de crescimento.

Nunes também concorda com o resultado de flexibilidade nos negócios que a pesquisa apontou. “Não existe negócio que dê uma recompensa mais valiosa do que ser um empreendedor”, garante. “Tornar-se um empreendedor é mais seguro do que ser um empregado”. O especialista sugere um modelo de negócio ideal para as pessoas começarem a empreenderem: marketing de rede, conhecido também como “networking marketing”, termo que descreve melhor um grupo de distribuidores independentes ou empreendedores individuais, que movem um produto ou serviço de maneira mais eficiente. Integrando esse serviço ao marketing digital, Nunes visa ainda maior crescimento no empreendedorismo, por isso trabalha com esses serviços, por meios dos quais tem obtido sucesso.

Fonte: InfoMoney



Comentários